Advertisement

Image Map

[Resenha] A última carta de amor.

[Resenha] A última carta de amor:


Livro: A última cartade amor
Autora:  Jojo Moyes
Ano de Lançamento: 2012
Número de Páginas: 384
Editora: Intrínseca
Classificação: 











Sinopse: 

Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante.

Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento.

Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.

Sobre o Livro:
Ellie Haworth é uma das nossas protagonistas, ela é uma jornalista que vive no ano de 2003 e ao procurar uma matéria no arquio do jornal encontra uma carta de amor. Ellie é independente e vive uma fase difícil onde se encontra apaixonada por um homem casado, acreditando que este é infeliz no casamento e largará tudo para corresponder esse amor...e isto já foi suficiente para Ellie mergulhar de cabeça nesta carta, procurar por outras em busca de saber quem eram essas pessoas e o desfecho deste amor arrebatador. 
Então  livro intercala para o ano de 1960 onde conhecemos nossa outra protagonista, Jennifer Stirling que ao acordar em um hospital descobre que sofreu um grave acidente onde perdeu sua memoria. Jennifer é forte que descobre ter um marido e uma vida perfeita aos olhos da sociedade, porem sente que algo importante está faltando e deixando um enorme vazio. As duvidas de Jennifer não vão demorar muito pois ela achará uma carta,simples, tocante e cheia de amor. Jennifer correrá atras de outras cartas buscando por lembranças para reencontrar o verdadeiro amor de sua vida. 
O livro então começa a intercalar entre antes do acidente de Jennifer e sua vida atual, então começamos a ligar os pontos e achar respostas. Ellie em seu ano 2003 se pega com duvidas sobre seu caso e se é realmente isto que ela quer ou merece. A escrita de Jojo Moyes é incrivel e nos envolve cada vez mais, as duas protagonistas são mulheres fortes, inteligentes que são muitas vezes subestimadas mas ao mesmo tempo que elas tem uma delicadeza encantadora elas tem uma grande força(como já citado) e motivações. O livro ressalta uma época em que as mulheres ainda não tinham sua independência e tinha o esteriótipo de que deviam ser bem casadas com um bom partido, cuidar da casa, fazer o seu marido feliz e de que só serviriam para isto. Achei que este fator enriqueceu a história de Jennifer pois vemos que mesmo em um tempo repressor ela teve uma força enorme para passar por tudo que passou e percebemos uma beleza grandiosa nesta personagem por ela arriscar tudo por este amor, nos deixando aflitas e torcendo muito para que der certo está linda história. Como as historias se ligam são de uma unicidade maravilhosa.
Fora estes fatores percebemos o quando a comunicação com quem amamos faz falta e uma grande diferença. A comunicação mudou sim de uma forma arrebatadora a vida destes personagens e modificou muitos planos. A capa do livro está delicada, a fotografia de cartas envolvidas por um laços nos leva a uma época incrível e nos traz uma beleza única e o diferencial de em cada capitulo termos uma carta de outras pessoas (anonimas) deixou o livro nos fazendo suspirar.
Frases do Livro:
Se eu me permitisse amar você, isso me consumiria. Só existiria você. Eu viveria com medo de que você pudesse mudar de ideia. E, se isso acontecesse, eu morreria.
Se tudo o que nos é permitido são horas, minutos, quero ser capaz de gravar cada um deles na memória com perfeita clareza para poder recordá-los em momentos como este, quando minha alma está sombria.
Mas de repente me dei conta, (...), que ter alguém que nos entenda, que nos deseje, que nos veja como uma versão melhorada de nós mesmos é o presente mais incrível. Mesmo que não estejamos juntos, saber que, para você, eu sou este homem é uma fonte de vida para mim.
Certa vez uma pessoa sábia me disse que escrever é perigoso pois nem sempre podemos garantir que nossas palavras serão lidas no espírito em que foram escritas...


Nenhum comentário

Postar um comentário

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger