Advertisement

Image Map

[Resenha] Eu não sei lidar.

[Resenha] Eu não sei lidar:



Livro: Eu não sei lidar
Autor: Lucas Silveira
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 160
Editora: Dublinense
Classificação: 










Sinopse: 

A incapacidade de lidar. Eis aqui, explícito logo no título do livro, um dos combustíveis mais poderosos para transformar a própria experiência em algo bem maior e mais universal que dramas pessoais ou segredos guardados dentro de um caderno esquecido em uma gaveta qualquer. Não saber lidar. Eis uma característica marcante de Lucas Silveira. Que talvez só não seja maior do que o seu desejo de compartilhar. 
Em seu conjunto, este livro é uma espécie de farol, só que ao invés de marcar o ponto de chegada, é um farol concebido para iluminar o que ficou para trás. É por isso que ele revela não apenas “a história” escondida nos versos de cada canção, mas também o que liga cada uma delas e o que faz deste conjunto uma obra inteira, uma narrativa musicada de memórias fragmentadas.
Aqui, cada canção funciona como um pequeno ponto luminoso. A cada página, essa luz vai desvelando algo inesperado. Relatos do universo da música e sua trajetória profissional de repente se misturam com lembranças da vida pessoal, da infância, e desembocam em dilemas que geraram grandes histórias. E aos poucos é possível ver formar-se um caminho.


Sobre o Livro:

Neste livro podemos mergulhar em sentimentos do Lucas Silveira, conhecer um pouco mais a fundo sobre as histórias por trás das suas letras e seus versos. O livro a cada página tem uma capacidade incrível de te tocar e cativar, em todas as páginas que virei pude me sentir no universo do autor e ao mesmo tempo lembrar e transbordar de sentimentos ao me identificar com suas palavras. A narrativa do Lucas te faz ver um pouco sobre o que se passa na sua cabeça, os desenhos e rabiscos deixam o livro com uma beleza única e toda sua composição te faz ver as letras de uma forma nova e por  diversas vezes me peguei cantando cada uma delas. 

A capa do livro está linda,a fotografia preta e branca deu mais seriedade a obra, o Lucas soube expor muito bem seus relatos me fazendo favoritar este livro e ter um pouquinho deste horizonte infinito na minha casa. 


Eu sou esse acidente. E eu sou grave.








Trechinho da música - Cada poça dessa rua tem um pouco de minhas lágrimas:


Perdoa por eu não poder te perdoarDói muito mais em mim não ter a quem amar!Ecoa em mim o silêncio dessa solidãoPudera eu, viver sem coração...Viver sem você...



Nenhum comentário

Postar um comentário

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger